terça-feira, 13 de novembro de 2012

Por vezes é bom escapar de nos mesmos, necessitamos tanto, um tempo para hibernar literalmente, esquecer quem somos, o que fizemos, viver no limbo, para depois começarmos lentamente a renascer,a ter esperança a ter fé.
O Outono tem o poder de tornar-me um ser depressivo e isolado de tudo ,somente sobreviver e fazer o necessário como uma maquina pré programadas.
Mas um dia a um despertar, algo que dentro de mim diz para deixar tanta parvoíce que o mundo está ai, que a vida é para continuar para o  bem e para o mal, mas a que ter capacidade de recomeçar e inventar novas formas de ser feliz. Vou seguir em frente que para o fundo nunca mais...

( está musica veio-me a memoria de repente quando alguém disse-me que era só uma nuvem passageira, eu era uma criança quando a escutei, a tanto tempo atrás , e comecei a cantar o refrão no carro , e veio-me um sorriso, como é que eu recordava esta musica que a tantos anos e sendo uma criança tinha ficado gravado na minha memoria para sempre)



1 comentário:

manuela barroso disse...

O outono é uma espécie de descer a escada, para a escuridão, ficando o sol para trás.
O sol põe-se, vai e volta. A nuvem tolda-lhe por vezes os olhos. E nós ainda cá estamos esperando que a nuvem passe, que o sol volte com a primavera.
Muitos sorrisos Maria
Bjis