sexta-feira, 18 de maio de 2012



Ontem foi Dia da Espiga e como todos os anos lá fiz o simples ramo para colocar atrás da porta.

Actualmente poucas são as pessoas que ainda vão ao campo nesta quinta-feira, abandonando as suas obrigações, para apanhar a espiga, ou que se deslocam às igrejas para participar nos preceitos religiosos próprios da data, tempos houve em que, de norte a sul do país, esta foi uma data das mais festivas do ano, repleta de cerimónias sagradas e profanas.
A origem deste dia é, contudo, muito anterior à era cristã. Este dia vem de rituais de outros povos, realizados durante séculos, por todo o mundo mediterrâneo, em que grandiosos festivais, de intensos cantares e danças, celebravam a Primavera e consagravam a natureza.(No meu blog
http://http://maria-omundodeavalon.blogspot.pt/falo destes rituais nomeadamente Beltane)
Para estes povos , esta data, tal como todos os momentos de transição, era mágica e de sublime importância.
Nela celebrava-se o renascimento da vida vegetal e animal, após a letargia dos meses frios, e a esperança nas novas colheitas.
A Igreja de Roma, à semelhança do que fez com outras festas antigas pagãs, cristianiza depois a data e esta atravessa os tempos : como Quinta-feira de Ascensão, para os cristãos, assinalando, como o nome indica, a ascensão de Jesus ao Céu, ao fim de 40 dias; e como Dia da Espiga, ou Quinta-feira da Espiga, esta traduzindo aspectos e crenças não religiosos, mas exclusivos da esfera agrícola e familiar.
O Dia da Espiga é então o dia em que as pessoas vão ao campo apanhar a espiga, e outras plantas, cuja composição, número e significado de cada uma, varia de região para região , guardado durante um ano, para trazer a abundância, a alegria, a saúde e a sorte.
Não obstante as variações locais, de um modo geral, o ramo de espiga é composto por pés de trigo e de outros cereais, como centeio, cevada ou aveia, de oliveira, videira, papoilas, malmequeres ou outras flores campestres. E a simbologia de cada planta, é a seguinte:
o trigo representa o pão; o malmequer o ouro e a prata; a papoila o amor e vida; a oliveira o azeite e a paz; a videira o vinho e a alegria; e o alecrim a saúde e a força.

2 comentários:

Tiziano disse...

Olá Maria bonita e interessante que seu post,
é utilizado por nós para lulivo a porta no dia do Palmeiras
e é levado sobre os costumes do dia da Ascensão são passadas de minha mãe
nomeado como você e minha mulher chamada Maria,
um abraço e um bom fim de semana ..

manuela barroso disse...

Olá Maria,
Gostei desta partilha tão primaveril nesta época.
Aqui, no dia 1 de maio, põe-se as maias à porta para dar sorte e mais pormenores de ritual pagão
Maias são as flores amarelas da giesta que prolifera pelos montes nesta altura.
Linda esta troca de "olhares"!
Grande abraço